Preços na hotelaria devem ser reduzidos

Preços na hotelaria devem ser reduzidos

O Conselho Consultivo do Ministério da Hotelaria e Turismo, que encerrou ontem no Sumbe, Província do Cuanza Sul, recomendou o prosseguimento dos esforços das autoridades para os operadores do sector baixarem os preços, incluindo os dos hotéis e os das tarifas aéreas.

As recomendações do encontro, que decorria desde quinta-feira, envolvem os preços praticados nas unidades hoteleiras e os bilhetes de passagem, que os participantes consideram que, uma vez  equilibrados, podem impulsionar o turismo interno.
A medida está associada à solicitação de uma análise nacional sobre as causas dos preços adoptados pelas unidades hoteleiras actuais e decorre de um debate em curso no sector da Hotelaria e Turismo, do qual a ministra deu sinais durante o mês de Junho, quando visitou hotéis de alto padrão situados na Baixa de Luanda.
Ao falar aos operadores do sector, naquela ocasião, Ângela Bragança pediu que se esforcem para reduzir os custos, citando o exemplo do Hotel Presidente, que passou a usar fontes renováveis para prover o aquecimento da água.
Próximo desse debate está a denúncia feita pela ministra naquela ocasião, de que algumas unidades se inscrevem em categorias mais elevadas para prestarem serviços inferiores, com algumas classificadas como sendo de cinco estrelas a servirem com padrões de três estrelas.
As recomendações instam à revisão da política de licenciamento dos estabelecimentos  do sector do turismo, no âmbito de um processo de limitação de competências e o estudo de um pacote de incentivos para estimular a actividade dos operadores privados.
Outras recomendações do Conselho Consultivo prendem-se com a organização dos roteiros turísticos fiáveis, a um trabalho conjunto com os ministérios do Interior, da Construção e Obras Públicas e da Energia e Águas, para melhorar as condições  sobre questões migratórias, os acessos rodoviários e a provisão de bens públicos como água e electricidade.
O fomento do ecoturismo, abertura de postos de informação turística e o desenvolvimento de  iniciativas de promoção e divulgação do sector nas representações diplomáticas, companhias aéreas, unidades hoteleiras e agências de viagens são outras medidas incluídas pelos participantes entre as estratégias para a projecção do turismo. Uma das conclusões divulgadas no fim dos debates considera que a inserção do turismo no Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituições das Importações (Prodesi), será uma oportunidade para o sector contribuir para a diversificação da economia.
Os participantes solicitaram à instituição de um Conselho Nacional de Facilitação Turística, a promoção e criação da Marca Angola.
A reunião foi realizada sob o lema “Promover o desenvolvimento sustentável e diversificado, com a inclusão económica, social e redução das desigualdades” e contou com a participação de secretários de Estado, directores nacionais e provinciais, associações e empresários ligados ao sector.

Fonte: Jornaldeangola.sapo.ao


  • Promoções Especiais

Informações:

LINHA DE APOIO - hoteisangola.com


  931 510 510    931 510 510 - Guardar contacto

O Live Chat Whatsapp / Viber está disponível de:
  • - Segunda a Sexta das 09H00 às 20H00
  • - Sabados das 09H00 as 18H00
Este Serviço Live Chat destina-se a esclarecer os utilizadores e prestar informações sobre unidades hoteleiras e pontos turisticos.
Suporte por Telefone

Suporte por Telefone


  +244 931 510 510  -  991 510 510

O Linha de Apoio está disponível de:
  • - Segunda a Sexta das 09H00 às 20H00
  • - Sabados das 09H00 as 18H00
Esta Linha de Apoio destina-se a esclarecer os utilizadores e prestar informações sobre unidades hoteleiras e pontos turisticos.
Suporte por Email

Suporte por Email


       

Suporte por SKYPE



Newsletter - Promoções e destaques em seu email

Cancelar

Se quer parar de receber nossa newsletters escreva o seu código de remoção. Não irá receber mais actualizações.

https://www.hoteisangola.com/inner.php/ajax
Por favor, espere ...
Endereço de email inválido