Assinala-se sexta-feira o Dia Mundial do Turismo

CUANZA SUL: UM ÂNGULO DO HOTEL RITZ NA CIDADE DO SUMBE; FOTO: JOAQUIM TOMÁS
CUANZA SUL: UM ÂNGULO DO HOTEL RITZ NA CIDADE DO SUMBE; FOTO: JOAQUIM TOMÁS
Luanda - Comemora-se sexta-feira, 27 de Setembro, o Dia Mundial do Turismo, instituído em 1980 pela Organização Mundial do Turismo (OMT), coincidindo com o aniversário da adopção dos seus Estatutos, a 27 de Setembro 1970.

O objectivo da data é promover o conhecimento da comunidade internacional sobre a importância do turismo e seus valores sociais, culturais, económicos e políticos, cuidando ainda dos impactos causados pela actividade, além de observar a importância na resolução dos problemas relacionados com a igualdade social.

Considerado um dos maiores sectores económicos do mundo, o turismo assume-se como de importância vital para a economia de muitos países, que têm nele um elemento essencial para o seu crescimento e desenvolvimento económico.

Sendo um sector que regista elevados índices de crescimento, o turismo não só apresenta benefícios económicos, como assume importância fulcral na promoção da cultura, língua e costumes de um país, povo ou população.

Para as comemorações do Dia Mundial do Turismo este ano, a OMT escolheu como lema “Turismo e emprego: um futuro melhor para todos”. De acordo com a OMT, as viagens internacionais no planeta aumentaram 6%, em 2018, contra os 4% a 5% de 2017, resultando em 1.4 bilhão de chegadas, fazendo de 2018 o segundo ano mais forte desde 2010.

Questões como o forte crescimento económico, viagens aéreas mais acessíveis, modernizações tecnológicas, novos modelos de negócios e facilitação de vistos em torno do mundo, aceleraram essa alta nos últimos anos.

Médio Oriente (+10%), África (+7%), Ásia, Pacífico e Europa (ambos +6%), lideraram o crescimento em 2018. Os desembarques para as Américas, por sua vez, ficaram abaixo da média mundial, com um aumento de 3%.

O crescimento do Turismo nos últimos anos confirma que o sector é hoje um dos mais poderosos impulsionadores do desenvolvimento económico.

É nossa responsabilidade geri-lo de maneira sustentável e traduzir essa expansão em benefícios reais para todos os países, particularmente para todas as comunidades locais, criando oportunidades de emprego e empreendedorismo, e não deixando ninguém para trás”, salienta o secretário-geral da OMT, Zurab Pololikashvili.

Da lista dos dez países mais visitados em 2018, constam a França, Espanha, Estados Unidos da América, China, Itália, México, Reino Unido, Turquia, Alemanha e a Tailândia.

Falando durante o acto de abertura do Fórum Mundial do Turismo (uma organização global que realiza eventos turísticos em diferentes partes do mundo a fim de impulsionar ainda mais o turismo global), ocorrido no mês de Maio do ano em curso, em Angola, o Presidente da República, João Lourenço, afirmou que o Executivo angolano tem definido um novo quadro para o investimento directo estrangeiro, onde se destacam a Nova Lei do Investimento Privado, a Lei da Concorrência e o Regime de Isenção e Simplificação dos Actos Administrativos para a Concessão de Vistos de Turismo, entre várias outras medidas e acções já tomadas.

​Aos investidores presentes neste fórum, apraz-nos propor o desafio da descoberta das enormes possibilidades de desenvolvimento de negócios de turismo em Angola, assentes na diversidade de recursos naturais como os do Okavango-Zambeze, zona rica em vida selvagem e biodiversidade, importantes para o ecoturismo, bem como os imensos parques naturais do Yona, da Quissama, do Lumeje-Cameia, as quedas de Calandula, as Pedras Negras de Pungo a Ndongo, a Cachoeira do Binga, as ruínas de Kulumbimbi e o Museu dos Reis do Congo, ambos em MBanza Kongo, elevados a património histórico-cultural mundial pela UNESCO, o Museu da cultura Tchokwe, no Dundo, as pinturas rupestres do Tchitundo-hulo, as nossas lindas praias à espera de investimentos das cadeias internacionais de hotéis e resorts”, realçou.

O sector do turismo em Angola dispõe de 28 mil 462 quartos, dos quais 14 mil 88 são quartos de hotel e 14 mil 374 são outros tipos de alojamento. Existem ainda no país, 1.771 empreendimentos hoteleiros, 5.829 restaurantes e similares, bem como 317 agências de viagem.

As praias constituem excelentes pontos turísticos, que dispõem de cerca de 1.650 quilómetros de costa, onde inúmeros rios de caudal elevado desaguam, formando imensos estuários onde, gradualmente, ao longo do tempo, vão depositando os sedimentos arrastados pelas suas águas. Isto deu origem à formação de várias ilhas e baías, local onde se localizam as melhores praias de Angola. O clima do país permite que as praias sejam frequentadas durante todo o ano.

No entanto, é na época quente que existe uma maior procura pelas mesmas, que se tornam bastante frequentadas, quer pelos habitantes locais, quer pelos turistas que anualmente visitam a região. Junto às mesmas é habitual a existência de restaurantes e estabelecimentos comerciais e de diversão, que à noite são verdadeiros centros de entretenimento, com música e dança africanas.

As praias do Mussulo, Cabo Ledo, Sangano, Surfistas, Palmeirinhas, Caota, Baía Azul, N’Zeto, Morena, entre tantas outras, justificam, por si sós, a visita a Angola.


Fonte: Angop


  • Promoções Especiais


Newsletter - Promoções e destaques em seu email

Cancelar

Se quer parar de receber nossa newsletters escreva o seu código de remoção. Não irá receber mais actualizações.

https://www.hoteisangola.com/inner.php/ajax
Por favor, espere ...
Endereço de email inválido