Novo aeroporto em 2019

Novo aeroporto em 2019

As obras de construção do novo Aeroporto Internacional de Luanda retomaram a um ritmo normal, depois do rompimento do contrato com a construtora chinesa China Internacional Found (CIF), por razões de natureza financeira, técnica e operacional, e selecção de uma nova empresa a conclusão do projecto até ao fim de 2019.

O Presidente da República, João Lourenço, visitou ontem a zona de construção do novo aeroporto internacional de Luanda, constatou o grau de execução das obras, reuniu com os ministros que o acompanharam e baixou algumas orientações.   
Em declarações à imprensa, o ministro dos Transportes, Augusto Tomás, disse que o Presidente João Lourenço deu orientações ligadas ao financiamento e a questões dos outros sectores que intervêm no projecto, para que a obra “emblemática, moderna, inovadora e de qualidade internacional”, seja concluída sem falhas e possa orgulhar todos os angolanos. 
Com a retomada normal das obras pela empresa VIK, também chinesa, Augusto Tomás prevê a sua conclusão para finais de 2019 e a entrada em funcionamento do aeroporto a partir de 2020, se não houver falhas no financiamento ou outros motivos de força maior.
O ministro informou que já foram gastos cerca de mil milhões de dólares com a obra e o seu nível de execução está em 57.5 por cento.  
O ministro da Construção e Obras Públicas, Manuel Tavares, garantiu que não haverá problemas de acesso ao futuro aeroporto. “As vias estruturantes estão executadas. É necessário concluir algumas secundárias, mas isto está equacionado e priorizado pelo sector”, assegurou, garantindo igualmente que há orçamento para a conclusão dos trabalhos até ao final do próximo ano.
Manuel Tavares deu a conhecer que o Presidente da República orientou os diferentes sectores a uma prestação de serviços de qualidade no novo aeroporto e maior segurança na zona habitacional. João Lourenço deu ainda outras orientações que as áreas ministeriais respectivas vão trabalhar para darem cumprimento. 

Água e energia eléctrica 


O abastecimento de água potável na zona do novo aeroporto vai ser feito a partir do Quilómetro 44 e da localidade de Calumbo, por via de duas condutas que vão começar a ser construídas nos próximos meses. O tempo de execução é de menos de um ano e coincide com o prazo de execução do aeroporto, segundo o ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges. 
“Teremos já as infra-estruturas internas essenciais para o funcionamento do aeroporto”, garantiu João Baptista Borges, que também disse estarem concluídos os trabalhos de ligação da energia eléctrica de alta tensão, faltando apenas a conclusão das instalações de recepção da energia no interior do aeroporto.
O ministro manifestou preocupação com o roubo e destruição dos equipamentos eléctricos em várias zonas da cidade, como no Camama e na via expresso, que têm estado a contrariar os esforços que o Governo da Província de Luanda (GPL) e o sector da Energia têm empreendido para repor a iluminação pública.
“Precisamos do apoio da população para a denúncia destes actos”, pediu João Baptista Borges, dando a conhecer que está prevista a reposição da iluminação pública nos principais acessos à cidade, como na via Cabolombo -Viana, 1º de Maio - Viana, bem como em alguns arruamentos do centro da cidade.  
O objectivo, referiu, é contribuir para uma melhoria da segurança das pessoas e veículos e colaborar com o GPL, que tem competência na gestão da iluminação pública. 
Vários projectos integrados na obra do novo aeroporto de Luanda carecem de financiamento adicional. É o caso do projecto do viaduto da estrada de acesso, com conclusão prevista para o final de 2019; de  ampliação do terminal de carga, executado na ordem de três por cento; do edifício de catering, executado até ao momento em cinco por cento, dos hangares de manutenção 1 e 2, executados em 26 por cento; do edifício de acomodação da comunidade aérea e do hotel, que estão executados em 34  e 16 por cento, respectivamente. 

Projectos auxiliares contam com um financiamento adicional

A obra do novo aeroporto de Luanda inclui ainda projectos auxiliares como a de construção de casas de realojamento, que vai permitir a edificação de 50 habitações até ao fim deste ano e as restantes concluídas até final de 2018.  
As obras da estrada de acesso estão executadas em 54 por cento e o de fluxo de carga em 69 por cento. As de arborização estão avaliadas em 55 por cento, o da estação de abastecimento de água foi concluído na ordem dos 69 por cento e o do centro de salvamento e combate a incêndios em 81 por cento. O parque de estacionamento subterrâneo, com capacidade para mil viaturas, está executado em 78 por cento, as três estações de refrigeração em 40 por cento e a construção do terminal de carga em 23 por cento. As obras das pistas sul e norte estão concluídas em 66 e 53 por cento respectivamente e a placa central está totalmente construída. 
As obras de construção do novo Aeroporto Internacional de Luanda, localizado no município do Icolo e Bengo, numa extensão de 1.324 hectares, tiveram início em 2007. Após a sua conclusão, prevista para finais de 2019, o aeroporto vai permitir a transportação de 10 milhões de passageiros em voos internacionais e cinco milhões nos domésticos, anualmente. Até agora, o número de trabalhadores na obra é de 1.660, dos quais 54 por cento são angolanos.

Artigo: Jornal de Angola



Newsletter - Promotions and highlights in your email

Un-subscribe

If you want to stop receiving newsletters write here the Removal Code shown in newsletter you reveived by us and click Un-subscribe.

https://www.hoteisangola.com/inner.php/en/ajax
Please wait...
Invalid e-mail address