Directora do comércio aponta áreas prioritárias para investimentos

FOTO: QUINTAS BENJAMIM
FOTO: QUINTAS BENJAMIM

Os municípios de Cacolo, Dala e Muconda são as circunscrições que mais necessitam de investimentos privados nas áreas do comércio, ecoturismo, restauração e da hotelaria, informou hoje, terça-feira, do director provincial do Comércio, Hotelaria e Turismo,

Intervindo no encontro de auscultação entre os agentes económicos e o governador da Lunda Sul, Ernesto Kiteculo, a responsável fez saber que os investimentos na província estão concentrados no município de Saurimo, o que não contribui em nada para a atracção de turistas nas outras circunscrições.

Disse que nos municípios do interior existem apenas pequenas pensões e aldeamentos turísticos, que não satisfazem a demanda, mesmo com o potencial turístico e agrícola que os mesmos dispõem.

Informou que actualmente a província possui uma rede comercial de 954 estabelecimentos, sendo 48 grossistas, 770 retalhistas, 156 de prestação de serviços, 39 unidades do ramo da hotelaria e turismo, sendo o município de Saurimo, que detém 95 porcento dos mesmos.

Acrescentou que a capacidade de alojamento é de 508 quartos, perfazendo um total de 678 camas distribuídos nos quatro municípios.

O sector controla igualmente 532 estabelecimentos de comércio precário, que complementam o abastecimento de bens e serviços nas comunidades.

Estes estabelecimentos, prosseguiu, geraram cerca de três mil e 655 empregos, sendo três mil e 285 no sector do Comércio e 390 na hotelaria e turismo, acrescentando que a força de trabalho estrangeira nestes sectores é 220 pessoas entre proprietários e empregados.

No evento, o governador da província da Lunda Sul, Ernesto Kiteculo reconheceu o papel dos empresários e o seu contributo na disseminação da riqueza e consequentemente na geração de empregos e que augura melhorar a parceria pública/privada na circunscrição.

Prometeu também que o governo local vai trabalhar para melhorar o apoio institucional aos empresários bem como criar condições que possam favorecer um ambiente de negócio saudável.

Pediu aos investidores nacionais e estrangeiros a operarem na província da Lunda Sul, uma vez que carece de investimentos em vários sectores, com particular realce para a Agricultura, Hotelaria e Turismo, Pesca e prestação de serviços.

Acrescentou que a actual situação económica exige dos empresários mais empenho nas suas actividades, criatividade e visão, a fim de superarem as dificuldades do momento.

A província da Lunda Sul conta com 115 agentes económicos em vários ramos da economia.

Artigo: Angop



Newsletter - Promotions and highlights in your email

Un-subscribe

If you want to stop receiving newsletters write here the Removal Code shown in newsletter you reveived by us and click Un-subscribe.

https://www.hoteisangola.com/inner.php/en/ajax
Please wait...
Invalid e-mail address