1 Room, 2 Adultos (Mudar)
Room,Quartos,Adulto,Adultos,Criança,Crianças

Aqui pode encontrar soluções de Rent-A-Car de nossos parceiros.

Marque sua viagem mas antes escolha os locais a visitar.

Dialetos de Angola

Dialetos de Angola
  • O português é a língua oficial de Angola, mas a maioria da população angolana fala dialetos. Os principais dialetos faladas em Angola são o umbundo (umbundu), o quimbundo (kimbundu), o quicongo (kikongo), o chócue (côkwe), o ganguela (nganguela) e o cuanhama (kwanyama). Além destas, são faladas dezenas de outras línguas africanas - com fontes que afirmam haver 20 línguas enquanto outras fontes falam em 37 línguas e 50 dialectos, mas estas indicações não são nem fiáveis nem criteriosas.

Portugues
DscendingDescending
kimbundu
DscendingDescending
kikongo
DscendingDescending
Chócue
DscendingDescending
Kissolongo
DscendingDescending
Bom dia Kiambote kieno Chimene Chipema
Bem Vindo Ngiza mbote Tambwokenu ou Nwezako-mwanyi.
Boa tarde Chingolóshi Chipema
Posso ajudar Ngunukwase ou (singular) Ngukukwase?
Direita Chidume
Esquerda Chiméso
Obrigado Ngasakidila - Singular (eu) Tuasakidila - Plural (nós Ntondele Ngunasákwila ou (plural) Tunasákwila Untondele
Quarto Mu-chipatulo
Homem Lúnga
Mulher Pwô
Entrar Ku-njila
Sair Ku-tuhuka
Ponto Turistico tungo ya mangóngo ou chihela cha mangóngo
Transporte Mwendelo, quando aportugesado (Mashinyi, Minyáu e Kumbói)
Comer Kulya
Beber Kúnwa
Pequeno Almoço «grau diminutivo N/A» permanecendo assim, a palavra “Kulya há chiméne”
Almoço «grau aumentativo N/A» permanecendo assim, a palavra “Kulya há mwálua”
Jantar «periodicidade N/A» permanecendo assim, a palavra “Kulya há ufúku”
Fome Zala
Quanto custa Chingáhi
Dinheiro Mbongo
Viagem Ungéji
Criança
Sim
Não
Água
Desculpa Wundoloka


Para contribuir para esta lista basta enviar o seu contributo por email AQUI

 

Concluidos:

Linguas Nacionais de Angola

{slider action=start}{/slider}
UMBUNDO, língua dos ovimbundos

O principal grupo étnico bantu é o dos ovimbundos que se concentra no centro-sul do país, ou seja, no Planalto Central e algumas áreas adjacentes, especialmente na faixa litoral a Oeste do Planalto Central. Os ovimbundu constituem hoje um pouco mais da terça parte da população, e a sua língua, o umbundu, é por conseguinte a segunda língua mais falada em Angola (a seguir ao português) com 5,9 milhões de falantes (22,96% da população), segundo o censo da população angolana realizado pelo Instituto Nacional de Estatística de Angola em 2014. Por causa da Guerra Civil Angolana, muitos ovimbundu fugiram das zonas rurais para as grandes cidades, não apenas para Benguela e Lobito, mas também para Luanda e até para cidades geograficamente periféricas como Lubango, transportando assim a sua língua para regiões onde esta antes não era falada.

Quimbundo (kimbundu), língua dos ambundos

Em termos de importância numérica, o segundo grupo são os Ambundu que representam cerca da quarta parte da população. A sua língua, o quimbundo (kimbundu), é falada por 7,82% da população, maioritariamente na zona centro-norte, no eixo Luanda-Malanje e no Kwanza-Sul.O quimbundo ou kimbundu é uma língua com grande relevância, por ser a língua tradicional da capital, hoje provavelmente com mais de 5 milhões de habitantes. O kimbundu legou muitas palavras à língua portuguesa e importou desta, também, muitos vocábulos.

Quicongo (kikongo), língua dos bakongo

No norte, nas províncias do (Uíge, do Zaire) e parte do Kwanza-Norte, concentra-se a maior parte dos Bakongo que representam hoje pouco mais de 10% da população. A sua língua quicongo (kikongo) era a do antigo Reino do Kongo e tem diversos dialectos (tal como também as têm o umbundu e o kimbundu). Em consequência da guerra pela independência muitos Bakongo refugiaram-se na hoje República Democrática do Congo onde boa parte aprendeu também o francês e o lingala, língua de comunicação na parte ocidental daquele país. A maioria dos refugiados Bakongo, e/ou seus filhos e netos, regressou para Angola a seguir à independência, reinstalando-se em geral no seu habitat de origem, mas formando também núcleos populacionais importantes nas cidades situados fora desta área, principalmente em Luanda. Deste modo, também o kikongo, está hoje de algum modo presente em boa parte de Angola, com 8,24% de falantes.

Chócue (côkwe)

Os chócues (Côkwe) estão presentes numa boa parte do leste de Angola, desde a Lunda Norte ao Moxico e mesmo ao Bié. Enquanto mais a norte constituem, juntamente com os lunda, a população exclusiva, a sua presença mais a sul e cada vez mais dispersa e se mistura com a dos pequenos povos da região, habitualmente designados pelo termo ganguela. A língua chócue (côkwe) é falada por 6,54% da população tem vindo a sobrepor ao lunda, mas aparentemente não às línguas de outros povos.

Ganguela (nganguela)

Os povos designados como Ganguela - Lwena, Luvale, Mbunda, Lwimbi, Kangala, Ambwila, Lutchaz, Kamachi etc. - não constituem uma etnia abrangente, e cada um fala a sua língua, embora estas sejam de certo modo aparentadas. A que frequentemente se designa como "língua nganguela" e tem actualmente o estatuto de "língua nacional" é na verdade apenas a de uma população residente a leste e sul de Menongue.

Nyaneka

O termo Nhaneca-Humbe é utilizado para designar um conjunto de etnias agropastoras do sudoeste de Angola. Localizadas na sua maior parte na Província da Huíla, estas etnias combinam a criação de gado bovino com uma agricultura geralmente destinada mais à auto-subsistência do que à comercialização. Cada etnia (muíla, handa, etc.) tem a sua identidade social e suas características culturais e linguísticas próprias, e elas não se consideram como fazendo parte de um conjunto abrangente. A maior parte dos nhanecas e humbes aderiu ao cristianismo, predominantemente à Igreja Católica, no decorrer do período colonial. A escolarização fez progressos lentos e continua a baixo da média nacional. Uma parte significativa passou a viver nas vilas e cidades, abandonando, completamente ou em parte, o seu modo de vida tradicional. O cortejo anual do Boi Sagrado praticado em partes mais tradicionais da região, tem de acordo com algumas fontes a sua origem no culto ao boi Ápis da mitologia egípcia.

Ovambo (oshiwambo) e cuanhama (kwanyama)

Diferente é o caso dos Ovambo que são um grande grupo étnico existente principalmente na Namíbia, mas em parte significativa também na província do Cunene, no sul de Angola. A sua língua é o Oshiwambo, a língua africana mais importante da Namíbia. Em Angola essa língua é geralmente falada na forma de dialectos, próprios de diferentes subgrupos. O subgrupo de maior destaque em Angola é o dos Kwanyama (também escrito "cuanhama"), mas há ainda os Kwamatu, os Kafima, os Evale e os Ndombondola.

  • Hoteis e Resorts com Vida Selvagem
    Com uma grande riqueza no que diz respeito a paisagens naturais, fauna e flora, a Angola proporciona aos visitantes paisagens espetaculares, desde altas quedas de Água, vastas praias e densas flore...
  • Hotel ou Resort? Qual a melhor solução.
    Todo mundo já ouviu falar em resort, mas ainda há quem questione: “Qual a diferença entre resort e hotel?”.
  • Porque visitar Benguela?
    Benguela foi eleita em 2019 como o melhor destino turistico do pais - uma província de gente acolhedora e simpática, as suas praias fazem as delicias de quem visita a província, mas não se esqueça ...
  • Resorts que deve visitar em Angola
    Resorts são lugares usado para relaxamento ou recreação, situado fora do centro urbano com áreas não edificadas de terreno, voltados especialmente para atividades de lazer e entretenimento do hóspe...

Informações:

LINHA DE APOIO - hoteisangola.com


  931 510 510    222 780 159 

O Live Chat Whatsapp / Viber está disponível de:
  • - Segunda a Sexta das 08H00 às 22H00
  • - Sábados e domingos das 09H00 as 18H00
Este Serviço Live Chat destina-se a esclarecer os utilizadores e prestar informações sobre unidades hoteleiras e pontos turísticos.
Suporte por Telefone

Suporte por Telefone


  +244 931 510 510  - 222 780 159

O Linha de Apoio está disponível de:
    • - Segunda a Sexta das 08H00 às 22H00
    • - Sábados e domingos das 09H00 as 18H00
    Este Serviço Live Chat destina-se a esclarecer os utilizadores e prestar informações sobre unidades hoteleiras e pontos turísticos.
Suporte por Email

Suporte por Email


       




Newsletter

Cancelar recepção

Se você deseja parar de receber newsletters, escreva aqui o Código de Remoção mostrado na newsletter que você recebeu por nós e clique em Cancelar assinatura.

Endereço de email inválido
 
Por favor, espere ...







Partilhe as suas aventuras
Artigo anterior
Partilhe as suas aventuras
Comboio Mala – CFB
Artigo seguinte
Comboio Mala – CFB